Pular para o conteúdo

Meu filho nunca dormiu fora.

    Adaptação das crianças a novos ambientes.

    A cena é relativamente comum: a criança já está em uma idade em que tem certo grau de autonomia e é convidada para dormir na casa de um amiguinho ou de algum primo. O fato da cena ser algo comum não quer dizer que seja livre de tensões, tanto pelo lado dos pais que precisam reconhecer e mesmo incentivar a autonomia de seu filho quanto para as próprias crianças que terão que passar pela adaptação, ainda que momentaneamente, a outra casa e ambiente. Selecionamos 3 dicas importantes para lidar melhor com a situação e seu processo de adaptação.

    1. É importante que o hospedeiro seja alguém de confiança.

    Sim, não é bom que casa em que a criança vai dormir fora pela primeira vez seja um ambiente completamente estranho e desconhecido para ela. Se o seu filho já estiver adaptado à casa em que vai dormir e reconhecer as pessoas ao seu redor ficará muito mais tranquilo e confiante e sua adaptação acontecerá com maior facilidade. Você sendo pai ou mãe também ficará mais tranquilo(a) sabendo que outros adultos de confiança estarão cuidando do seu pequeno. Por isso, o ideal é que essa primeira vez dormindo fora seja na casa dos avós ou de algum tio(a), de preferência tendo a companhia de outras crianças.

    • Não esqueça os remédios!

    Principalmente se o seu filho tiver alguma alergia específica ou tiver alguma condição de saúde, os remédios são de grande importância para que ele não venha a passar mal ou então seja cuidado caso fique doente. Também é importante lembrar que os adultos que estarão momentaneamente responsáveis pela criança precisam receber instruções de como lidar com ela em um momento de crise, tendo conhecimento de qual remédio usar, para quem ligar e para qual hospital levar caso a situação necessite da ajuda de um médico.

    • RELAXE!

    Claro que cuidados são necessários para facilitar a adaptação da criança à essa noite fora de casa, mas se ela estiver em um ambiente familiar, na companhia de outras crianças e com o suporte de uma rede de adultos de confiança as chances de ser um momento positivo são bem maiores do que as de ser um momento negativo! Sendo assim, que os pais aproveitem a noite “de folga” para se dedicar a cosias que não fariam normalmente se o filho estivesse em casa. Podem aproveitar para fazer um programa romântico a dois, sair com amigos, assistir um filme, dormir tarde ou simplesmente descansar da necessidade de tomar conta de outro ser humano.

    O principal é reconhecer que essa primeira noite dormindo fora será fundamental na construção da autonomia do seu filho, afinal ele nem sempre estará debaixo das suas asas. Essa adaptação é necessária para pais e filhos. Para os primeiros porque precisam aprender a confiar na sua rede de suporte caso queiram desenvolver uma vida profissional e ter seus momentos de lazer e para os segundos porque precisarão se adaptar, gradualmente, ao ambiente externo ao lar para construir sua autonomia. Vale a pena confiar na sua criança e na sua jornada de aprendizado.